Incomodidade

Necessidade

     É necessário reduzir os níveis de ruído a que a população está exposta, tanto no interior dos edifícios, assim como em áreas urbanas e espaços públicos.

     A redução dos níveis de ruído é importante para garantir conforto acústico e inteligibilidade da fala.

    Para reduzir o nível de ruído, pode-se:

  1. Mitigar o ruído na fonte sonora;

  2. Isolar, sonoramente, os ambientes; 

  3. Adequar, acusticamente, os ambientes.

Os sons são definidos por duas grandezas, isto é, o “Nível de pressão sonora” expresso em decibels (dB) e a “Frequência” expressa em hertz (Hz).


O som se propaga a partir da fonte geradora, em todas as direções, dessa forma podemos dizer que a emissão sonora é tridimensional, considerando o espaço no qual se propaga.

 

Além da propagação no espaço é importante também observar que o som varia no tempo, logo para a determinação consistente do impacto dos sons sobre o ser humano, em ambientes internos às edificações ou em espaços públicos e urbanos, não são suficientes avaliações pontuais e de curta duração.

 

Avaliações curtas podem não ser suficientes para retratar a realidade da incomodidade sonora existente no espaço de interesse.


Define-se como ruído o som indesejado, perturbador ou prejudicial à saúde física e mental dos seres humanos, tanto em ambientes fechados como em espaços abertos. É importante ter em mente que, geralmente, ruídos podem ser definidos por sons sem harmonia, porém mesmo sons harmônicos podem se tornar “ruídos” quando estes causam perturbação.

O que incomoda?

  1. O ruído ser alto, constante, intermitente ou sazonal?

  2. O ruído gerado no piso acima de seu apartamento?

  3. O barulho que atravessa suas paredes, portas e janelas, provindos de vizinhos, trânsito, bares, igrejas, escolas, sistemas de ar condicionado, fábricas, aviões, helicópteros e tantas outras fontes de ruído que temos em nossas cidades?

  4. Outros ruídos? 

  • Facebook
  • Twitter
  • LinkedIn

©2020 por Chega de Barulho.